Sistemas de Arquivos MAC

Sistemas de arquivos do Mac

O sistema de arquivos do Macintosh era o HFS (Hierarchical File System, ou sistema de arquivos hierárquico) que foi apresentado em 1985 pela Apple e continuou sendo usado por muitos anos.

Atualmente é usado o HFS+ (Hierarchical File System Plus, ou sistema de arquivos hierárquico estendido), que é conhecido como sistema de arquivos Mac OS X Extended, e supera o seu antecessor em vários quesitos: pode trabalhar com endereços de bloco de arquivos de até 32bits, contra 16bits do sistema anterior; aceita nomes de arquivos com até 255 caracteres, em vez de apenas 31; tem formato de nome de arquivo Unicode, em vez do já antiquado MacRoman; possibilidade de lidar com arquivos de até 8EB (Exabytes) – um Exabyte equivale a mil Petabytes, um milhão de Terabytes ou um bilhão de Gigabytes. Esse é um dos motivos que faz os editores de vídeo gostarem tanto de usar um produto Apple.

Opções de formatação de disco com o Disk Utility:

  • Mac OS Extended (Journaled): de acordo com a Apple, esse formato foi apresentado no OS X 10.2.2 Server, e sua função é aumentar a segurança quanto ao armazenamento de dados, no que diz respeito a evitar falhas de integridade em casos extremos. Um disco com essa característica mantém registro de todas as suas atividades, e em caso de instabilidade ou travamento do sistema, esse registro -um journal, que pode ser entendido como “relatório” – é usado para restaurar o estado do sistema ao que tenha sido gravado, depois do reinicio do sistema..
  • Mac OS Extended: Não possui journaling, e essa opção pode ser desabilitada através de comandos via Terminal, para quem precisa ganhar desempenho em computadores mais lentos, porém o risco de perda de dados é maior.
  • Mac OS Extended (Case-sensitive, Journaled): combinação da primeira opção, respeitando as diferenças entre maiúsculas e minúsculas. Algo parecido com o que acontece no UNIX.
  • Mac OS Extended (Case-sensitive): igual ao anterior, só que sem journaling.
  • MS-DOS (FAT): seria o FAT32, da Microsoft. Formatar um disco com essa especificação garante compatibilidade integral entre quaisquer sistemas operacionais, porém há a limitação de tamanho de arquivos a 4GB, o que pode ser um problema para editores de vídeo e outras pessoas que trabalhem com arquivos de tamanho grande. Também um problema para quem lida com imagens de DVD-DL, já que o dual-layer consiste exatamente em levar o tamanho de um DVD normal a quase 8,5GB.

Tirando a opção MS-DOS (FAT), todas as outras são algum tipo de HFS+, e ainda havia uma opção UFS (UNIX File System), para quem quisesse, por alguma razão, usar o formato do sistema UNIX.

É válido lembrar que o Mac OS X não consegue permitir acesso completo a arquivos em discos com formato NTFS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s